O verdadeiro mito

21 janeiro 2019

Hoje, este homem da foto completaria 90 anos. Mas, infelizmente teve sua vida ceifada pelo ódio. O ódio mata. O amor não. E ele, só pregava o amor. Ele poderia ter raiva, visto que sofria imenso racismo e tanto ódio sem motivo algum. Mas não. Ele escolheu o amor. Um caminho que todos nós deveríamos escolher. Mesmo com todo o ódio, devemos sempre seguir o caminho do amor. Pois só o amor salva.

Ultimamente vem se chamando um certo homem, que por acaso é nosso presidente, infelizmente, de mito. E eu pergunto: é certo chamar alguém feito ele de “mito”? Alguém que só espalha ódio, que defende a desigualdade, que luta para que os preconceitos continuem. Não, ele não é um mito. Ele é uma pessoa má. E é muito fácil ser uma pessoa má. Poucas pessoas vão te impedir de ser ruim. É como Martin Luther King disse: “O que me preocupa não é o grito dos maus, mas o silêncio dos inocentes.” Difícil mesmo é ser uma pessoa boa, correta, que se importa com os outros e luta pelo direito de minorias. Devemos enaltecer verdadeiros mitos como Martin Luther King.

O mais engraçado dessa comparação é que tanto como Luther King e o tal presidente falava/fala em nome de Jesus. Enquanto o primeiro pregava o verdadeiro evangelho, levando o amor de Cristo. Pois qualquer um que leu a bíblia de forma correta, sabe que Jesus só pregava o amor e a paz. Já o segundo diz que prega o evangelho mas de forma totalmente oposta a Luther King e totalmente oposta a Jesus. Violência não se resolve com violência. Ódio não se resolve com ódio

Por isso, vamos todos seguir bons exemplos, pois de maus exemplos o mundo está cheio. Vamos seguir exemplos de gente como Martin Luther King, e não do famigerado que eu citei. Vamos seguir exemplos de pessoas que espalham amor, que lutam para o bem. Que usam sua voz para lutar por seus direitos ou por direitos dos outros. Não vamos deixar o mal vencer. Já fomos longe demais.