Por que Greta Thunberg incomoda tanto?

29 setembro 2019

Greta Thunberg é uma jovem sueca ativista ambiental de apenas 16 anos que é cotada para ganhar o prêmio Nobel da paz. Apesar de ter sido diagnosticado com Síndrome de Asperger, TDAH, transtorno obsessivo-compulsivo e mutismo seletivo, isso não a impediu de lutar por um mundo melhor.

Em 20 de agosto de 2018, Greta decidiu ir sozinha ao parlamento sueco onde segurava um cartaz escrito “Greve escolar pelo clima!” e distribuiu panfletos onde continha informações sobre mudanças climáticas. Mas, hoje, Greta não está mais sozinha. No dia 15 de setembro, cerca de 1,5 milhão de estudantes foram às ruas protestar a favor do planeta.

Greta discursou na COP 24, conferencia do clima da ONU, na Polônia, no final do ano passado, e também na Cúpula do Clima da ONU. Este último discurso que se tornou viral.  “Está tudo errado. Eu não deveria estar aqui em cima. Eu deveria estar de volta à escola do outro lado do oceano”, disse, claramente comovida, a jovem essa semana na ONU. “Vocês roubaram meus sonhos e minha infância com suas palavras vazias”, disse ela de forma contundente.

Greta não é hipócrita: ela faz de tudo para preservar o meio-ambiente. É vegana, evita andar de avião, redimensionou o hábito de fazer compras e reutiliza e recicla tudo que pode.

Greta vive em um país em que os Direitos Humanos estão em primeiro lugar.  O Estado oferece assistência de saúde e ensino superior universais, igualdade de gênero, proteção das liberdades civis e do desenvolvimento humano. Tudo financiado por um regime fiscal que promove ampla redistribuição de renda.

Greta incomoda pois ela fala a verdade, ela não tem papas na língua e joga a verdade nua e crua. O planeta está morrendo e precisamos fazer algo antes que seja tarde demais. A verdade é que há muitos poderosos que não querem que a população acorde, pois eles lucram destruindo o planeta. Ela está fazendo todo um planeta repensar seus hábitos e está se tornando uma das pessoas mais influentes do mundo, foi até capa da Time no último mês de maio.
Precisamos acordar, precisamos mudar nossos hábitos e viver de forma mais sustentável e ecológica. Se não, não haverá futuro para nós.
Abaixo, segue o discurso dela legendado na ONU: