Você sabe de onde vem sua roupa?

29 janeiro 2019

Estamos no século XXI mas ainda há um mal que assombra o mundo atual. É a escravidão contemporânea. E um dos setores que mais tem isso é o setor da moda. A moda pode ser libertadora para alguns, mas para outras, literalmente, aprisiona. A maioria das vítimas são imigrantes, pessoas vulneráveis que estão procurando uma vida melhor e são uma presa fácil para quem quer explorar.
Mas, afinal, o que é trabalho escravo? De acordo com a legislação brasileira, quatro elementos podem caracterizar trabalho escravo:

  1. Condições degradantes de trabalho em que o trabalhador vive num lugar precário, com péssima alimentação, falta de assistência médica, saneamento básico e água potável
  2. Trabalho forçado em que a pessoa é mantida no trabalho através de ameaças e violências físicas e psicológicas, tendo sua liberdade privada.
  3. Jornada exaustiva em que o trabalhador é submetido a esforço excessivo, sobrecarga ou jornadas extremamente longas em que causa dano à sua saúde, segurança ou mesmo risco de morte.
  4. Servidão por dívida em que a pessoa fica presa ao serviço por causa de um débito ilegal, cobrados de forma abusiva.
E a moda é um dos setores que, infelizmente, abriga a maior parte dos casos de trabalho escravo no mundo inteiro. Um caso emblemático foi o da marca internacional Zara. Ela foi flagrada em 2011, pela terceira vez, com trabalhadores em condições análogas a escravidão. A Zara ainda contesta na justiça a fiscalização. O que mais me choca é que essa notícia saiu em todos os jornais e as vendas da Zara continuam na mesma. As pessoas parecem não se importar com o outro e isso me choca muito. Eu não consigo viver bem comigo mesmo sabendo que eu estou dando dinheiro para uma empresa que trata outros seres humanos como lixo. No caso da Zara, os trabalhadores trabalhavam 16 horas por dia, eram proibidos de deixar o local de trabalho, dentre outras coisas. Então quando você compra roupa dessa marca você financia isso. Você também é responsável por essa atrocidade. E se uma empresa cometeu trabalho escravo no passado, nada garante que ela não vai cometer de novo.
Lista de marcas que tiveram envolvimento com trabalho escravo:
  • Zara
  • Marisa
  • Renner
  • Pernambucanas
  • 775
  • Lojas Americanas (setor têxtil)
  • As Maria
  • Belart
  • Bobô
  • Collins
  • Cori
  • Emme
  • Fashion Clinic
  • Fenomenal
  • Gangster
  • Gregory
  • Il Mare
  • John John
  • K2b infantil
  • Lafee
  • Le Lis Blanc
  • Luigi Bertiolli
  • Modgriff
  • M. Officer
  • Rosa chá
  • Seika
  • Sul-americana
  • Talita Kume
  • Unique Chic
Deu para perceber que a maioria (se não todas) das marcas envolvidas com trabalho escravo são marcas caras. Isso é bastante irônico, pois marcas caras que tem tanto dinheiro, não deveriam explorar. Mas, o desejo de lucrar fala mais alto, é o capitalismo selvagem que grita.

179 Comentários